Coringa (Joker) – Review

Postado no Blog, Filmes, Textos em por com 17 Replies

Oi.

Eu gosto quando um filme permanece assombrando minha mente depois de dias. É assim que eu sei que ele é verdadeiramente bom. São tantas camadas para analisar que eu precisaria assistir muitas outras vezes para conseguir transmitir pelo menos 1/3 do que eu senti. Só sei que doeu. Espero que as pessoas entendam a profundidade, importância e impacto desse filme. Ainda estou procurando palavras. Um dos melhores estudos de personagem que eu já vi e sem dúvidas o melhor filme que eu assisti esse ano. Apesar de ser um vilão e um personagem de HQ, a abordagem usada não foi nada parecida com a que todos estão acostumados a ver nos filmes do gênero. Ansiosa por mais filmes com o selo DC Black.

CORINGA (Joker), 2019 – dirigido e escrito por Todd Phillips em parceria com Scott Silver, conta a história de Arthur Fleck (Joaquin Phoenix), que durante o dia trabalha como palhaço nas ruas e de noite luta para se tornar um comediante de stand-up. Fleck também mora e cuida de sua mãe doente (Frances Conroy). Dentre vários problemas mentais, ele também tem um distúrbio neurológico que o faz rir descontroladamente de coisas que não são engraçadas e em momentos de tensão, tornando várias interações que ele tem extremamente desconfortáveis e dolorosas. Suas tentativas de controlar as risadas em situações de perigo em meio a tosses e olhares de pânico são desesperadoras. Essas risadas começam a ecoar pela nossa alma no decorrer do filme.

“The worst part about having a mental illness is people expect you to behave as if you don’t.”

Desde as primeiras cenas o filme te faz se sentir tão mal com o desprezo e descaso diário que ele recebe da sociedade que você acaba se colocando no lugar dele e desenvolve uma simpatia pela angústia que ele sente. Tudo que poderia dar errado, deu. Não que isso justifique alguma coisa. A atuação de Joaquin Phoenix é tão magistral que nos coloca em uma situação difícil de conflito emocional. Mesmo sabendo que o que ele faz é errado, ainda sentimos pena dele de alguma forma. E é meio perturbador sentir empatia por um vilão tão sombrio. Ele soube retratar perfeitamente uma pessoa que tentou ter uma vida normal e falhou, que perde e apanha todos os dias, que foi criada entre abusos, rejeição, em meio ao caos, sem recursos para se tratar, totalmente esquecida socialmente e que vive constantes humilhações. Um estudo perfeito de personagem e de como a sociedade pode afetar diretamente a vida de uma pessoa.

“Basta ter um dia ruim para transformar o mais são dos homens em um lunático. É a essa distância que o mundo está de mim, apenas um dia ruim.”

Essa frase do quadrinho “A Piada Mortal” de Alan Moore ecoa durante o filme inteiro…

O filme se passa na caótica e corrupta cidade de Gotham nos anos 80, onde pobreza, ilegalidade e “super ratos” correm desenfreados. Achei incrível mostrarem uma Gotham mais suja e urbana. Tecnicamente impecável em termos cinematográficos. Fotografia forte e densa que retrata muito bem uma Gotham imunda e uma iluminação que soube valorizar perfeitamente os momentos de glória do Coringa e os de decadência e depressão de Arthur. Trilha sonora importantíssima e pontual que elevou tudo a um nível sufocante e imersivo. Roteiro muito bem estruturado e sem pontas soltas. 10/10. A essência do palhaço assassino foi capturada com êxito.

Joker é uma obra de ficção, é um vilão de uma história em quadrinhos. Não acho que o filme seja um incentivo a violência nem nada do tipo. Acho que o filme fala sobre a falta de cuidado com o próximo, da sociedade doente em que vivemos, da falta de recursos e assistência adequada para as pessoas que sofrem com transtornos mentais e da maneira que são excluídas, de como só dão atenção quando algo extremo acontece, da violência impiedosa (física e mental) que a sociedade inflige nos outros, entre várias outras coisas. Eu entendo o choque das pessoas, porque apesar de se tratar do Coringa, que é um personagem perturbado em sua essência e não é novidade pra ninguém, o filme foi feito de uma maneira bem mais real. A violência dele é muito mais chocante porque é muito mais crua, humana e próxima da realidade em que vivemos. Bem diferente dos filmes de super-heróis que todos estão acostumados. É Gotham, mas poderia ser qualquer outra cidade em colapso. É o Coringa, mas poderia ser qualquer pessoa.

e vocês, o que acharam?

Até a próxima.


17 Comments on “Coringa (Joker) – Review

  • Que post MARAVILHOSO!
    Adorei a experiência que o filme leva ao expectador. É tão complexo e rico em detalhes que não dá pra ver só uma vez. A atuação do Joaquin Phoenix foi impecável.
    Eu sou acostumada a filmes gore e violentos então as partes que mais me impactaram foram as cenas que mostram o verdadeiro lado de uma doença mental, dos sentimentos de abandono e tudo mais que rodeia o personagem. E era isso que estava faltando nos filmes da DC. Uma conexão real que mostra o personagem de verdade, não só um psicopata vestido de palhaço como os outros filmes.
    De longe o melhor filme que assisti esse ano, sem dúvida

    Reply
  • Achei o filme perfeito! Fui assistir porque estavam falando muito bem, mais eu não estava esperando um filme tão bom porque os últimos filmes da DC que assisti foram decepcionantes. Não parece nada com um filme da DC e tampouco com um filme de super heróis/vilões.
    Foi perfeito porque é extremamente real. Toda pessoa é um universo e dentro de seus universos/mentes sempre existem conflitos e o que faz a pessoa explodir ou não é exatamente como vai decorrer seu dia-a-dia.
    Tbm achei esse filme muito importante para a discussão saúde mental.
    Review perfeito, Debóra. <3

    Reply
  • Achei fantástico, passei dias pensando no filme… saiu uma matéria com um médico na Rolling Stones sobre o que ele achou do filme e apenas maravilhado, com tamanha realidade e maestria na interpretação e estudo do personagem.
    Outro filme que me abalou muito foi O bar luva dourada, recomendo se ainda n viu. Pesadíssimo, nem tanto pelas mortes mas pela degradação moral, física das pessoas. Me deu ânsia e olha q sou muito forte pra filme. Bjs.

    Reply
  • Assisti num cinema lotado. As pessoas expressavam toda hora sentimentos de pena do Frank, não houve risos. Mas na hora em que ele mata o colega e o palhaço apavorado tenta fugir mas não alcança a maçaneta da porta, a plateia cão na gargalhada. Um aparente alívio cômico no meio de um filme tão denso… Mas o que percebi foi que aquele palhaço era como todas as pessoas que não conheciam a história do Frank se sentiam sobre ele. O anão ali era um personagem ridículo, digno de pena, como o Coringa sempre foi para todos. Amei o filme. Já vi vários Coringas mas esse foi o mais perfeito. A única coisa que me incomodou no filme foram cenas praticamente idênticas a da série Gotham (a rebelião do povo na rua em favor do Coringa, a mãe dele igual a mãe do Pinguim na série etc).

    Reply
  • Essa obra me tocou profundamente. As cenas são impactantes e ainda não saíram da minha cabeça. A atuação do Joaquin Phoenix foi magistral e essencial para que a mensagem pudesse ser passada. A risada dele é como um choro que ecoa na cabeça e traz angústia no peito e é visível a tristeza no olhar dele. Essa cena do trem dele rindo descontroladamente e os caras indo pra cima é de cortar o coração (bem como varias outras).
    É um filme com a atmosfera pesada que aborda questões que precisam ser mais amplamente disseminadas e como você disse foi ótimo terem sido abordadas em um filme de um vilão tão famoso. Quero muito assistir de novo.

    Reply
  • como diz o comediante:
    ”Quando se percebe que tudo é uma piada, ser O Comediante é a única coisa que faz sentido.”

    só que nesse caso palhaço! coringa é um filme belissimo!

    Reply
  • Concordo com você. O filme assusta por causa da proximidade com a nossa realidade atual.
    PS: Eu simplesmente não consegui rir em nenhuma das cenas em que ele perdeu o controle do próprio riso, pelo contrário, senti muita angústia e incômodo por outras pessoas estarem rindo…

    Reply
    • Sim, e não é um tema novo, é que as pessoas não costumam assistir esse tipo de filme mas como era do universo de super-heróis acabou sendo muito mais assistido e por isso acabou sendo mais discutido! Se não fosse o Coringa, passaria batido como vários outros. Também não ri… na cena da criança no ônibus eu já caí no choro…

      Reply

Deixe uma resposta