Sobre amor e relacionamentos

Postado no Blog, Textos em por com 31 Replies

Acordei do nada no meio da madrugada pra variar e tive um sonho com meu avô. Eu morei com meus avós a minha infância inteira e sempre fui muito apegada a eles. Desde que meu avô faleceu a vida virou um borrão pra mim. Nos meus sonhos ele está sempre vivo e ainda procuro ele quando vou na casa da minha vó (que ainda está viva). Faz 4 anos já e pra mim ainda é difícil ir lá. Isso é terrível porque quero passar mais tempo com ela e tenho um bloqueio enorme pra conseguir superar isso. Totalmente egoísta da minha parte. Se eu não supero imagina ela? Mas eu não vim falar de morte, vim falar de amor e relacionamentos. Meus avós ficaram juntos a vida inteira e, pelo menos desde que eu nasci, nunca presenciei uma briga feia ou alguma dificuldade entre os dois. Foram quase 70 anos juntos, 11 filhos. Tenho certeza que se algum dia existiu alguma eles conversaram, se entenderam e superaram. As coisas não duram mais. As pessoas não têm mais paciência de crescer e cuidar de um relacionamento. Elas estão preguiçosas. Quando as dificuldades começam a aparecer simplesmente desistem e procuram outro. Quando eu penso em relacionamento eu sempre lembro dos meus avós. Eu sou do tipo de pessoa que sempre quis um amor pra vida toda. Meu vô sempre acordou mais cedo pra fazer o café da manhã pra minha vó e uma coisa que eu nunca esqueço é que no fim da vida, quando ele já estava completamente fora desse plano por causa da doença horrível que é Alzheimer, teve uma manhã que ele levantou cedo e escapou pra cozinha (escapou porque já estava em um estágio que não podia fazer mais nada sozinho), botou a mesa pros dois, a xícara especial dela, o pão como ela gosta, as coisinhas dele. Mesmo não lembrando de mais nada quase, dela ele nunca esqueceu. Nem desses detalhes. Os dois estavam sempre juntos, sempre sentavam um ao lado do outro pra assistir tv de mãos dadas. Mesmo quando era pra assistir novela que ele não gostava mas minha vó sim, ou pra assistir jogo e noticiários que ele gostava e ela não. Companheirismo é isso, né? Às vezes a gente até pede desculpa mesmo quando não tem culpa porque o amor é maior que o ego. Eu me pergunto se antigamente as pessoas se esforçavam mais pra dar certo porque casamento era algo muito mais permanente do que hoje em dia e divórcio era meio que um absurdo. Logicamente não acho que quando duas pessoas estão realmente infelizes elas não devam se separar. Mas será que as pessoas estão esquecendo o que é o amor? O que é crescer junto com alguém e aceitar todos os defeitos da pessoa da mesma forma que aceita suas qualidades? O que mais vejo por aí são pessoas que deixam de gostar das outras pelo mesmo motivo que começaram. Às vezes nem por um defeito, mas por uma coisa que no começo era atraente e no fim ficou irritante e insuportável. Todo mundo que se sente incompleto busca em outra pessoa algo que preencha isso. Depois de um tempo, quando passa o calor da paixão e adrenalina do começo do relacionamento e as coisas se acalmam, as pessoas se frustram por não se sentirem completas ainda e culpam a outra. Como se fosse obrigação da outra preencher um vazio. Como se fosse ela a culpada pela sua infelicidade. E assim já sai a procura de algo novo e mais satisfatório que proporcione aquela falsa sensação de novo. Se sentir completo é obrigação de cada um. É algo que só a própria pessoa pode fazer por ela mesma. Se você joga essa responsabilidade para os outros, todos os relacionamentos que tiver serão fracassados e você vai entrar em um loop infinito de uma procura sem fim. Será que antes as pessoas se esforçavam mais ou será que hoje as pessoas não se esforçam nem um pouco? É fato que as pessoas estão cada vez mais perdidas e tristes. E isso dificulta muito. O amor é uma plantinha que tem que regar e cuidar. E cuidar muito bem pra não murchar. O amor é lealdade, é paciência, é respeito, é tolerância, é persistência, é desistir de ter controle, é fácil, é insuportável, é comprometimento. Se ele não for tudo isso não serve pra nada. Não é suficiente. Uma pessoa tem vários lados e mesmo vivendo uma vida inteira com ela é possível não conhecer todos. Dá pra se apaixonar várias vezes pela mesma pessoa redescobrindo ela sempre. Se encantar por algum detalhe novo que ainda era desconhecido. Quando duas pessoas se amam e estão realmente focadas em ficar juntas não existe nada que atrapalhe. É importante não deixar morrer o romance ao longo dos anos, se preocupar com o bem estar da pessoa e comemorar sempre com ela suas vitórias e estar ali para apoiá-la nas derrotas. É importante saber a diferença entre a hora de dar colo e a hora de falar; é importante saber escutar e confortar. Dialogar é tão essencial quanto conseguir ficar quietinho só sentindo a presença da pessoa sem falar uma palavra. Ser envolvido por ela e envolvê-la. Ao mesmo tempo que abrir muito o coração pra alguém é dar o poder pra esse alguém te machucar, é impossível que alguém te ame verdadeiramente sem essa abertura. Sem saber teus medos e falhas. Sem conhecer quem é você realmente. A pessoa precisa amar a outra pelo que ela é e não pela imagem que criou e idealizou dela na própria cabeça. Poucas coisas são mais aterrorizantes e prazeirosas do que amar e ser amado genuinamente. E quando real sempre vai valer o risco.

img_6752


31 Comments on “Sobre amor e relacionamentos

  • Estou em um relacionamento digamos que complicado onde eu estou numa certa fase da vida e ela, por ser mais velha, em outra Ler seu texto me fez ver de uma outra perspectiva. Ótimo texto.

    Reply
  • Se o amor pode ser descrito em palavras, com certeza você conseguiu uma descrição perfeita. Obrigado, lendo textos como esses, textos que exalam amor que me faz acreditar que o amor ainda tem força em meio a tantos sentimentos ruins que parecem ter se tornado mais importantes.

    Reply
  • Débora você acha que devo terminar meu relacionamento com uma pessoa que não acredita no amor e tem plena noção de que vamos terminar mesmo dizendo me amar? Eu tenho a certeza de que não vai ser para toda vida diante do mundo como anda hoje, mas é desanimador ter alguém assim ao meu lado, achar que vai acabar aqueles momentos lindos a qualquer momento. Só sinto medo de me entregar. Espero tua resposta

    Reply
    • Oi Thais, eu não gosto de me meter em relacionamentos dos outros porque por mais que você conheça bem os dois ou um dos dois, nunca dá pra saber realmente como é a relação. Mas acredito que deva ser difícil namorar alguém que não acredita no amor e tem certeza que vai terminar. Não que a ideia de “pra sempre” tenha que ser impregnada sempre, mas prever um término é realmente desanimador…

      Reply
  • Olá Débora, texto lindo. A história de seus avós me lembrou o filme Diário de uma Paixão, já assistiu? Se não, veja, acho que irá gostar. Beijos.

    Reply
  • Muito eloquente e sucinto como tudo que tu escreve, guria. Ultimamente de blog pessoal o teu é o único que eu me vejo voltando sempre.

    E: Nana <3

    Reply
  • Olá Débora, li seu texto e não pude deixar de me emocionar quando você falou dos seus avós. O meu avô faleceu faz 6 anos, ele também tinha Alzheimer e foi bem difícil, sinto muita falta dele. Ele sempre ficava emocionado e chorava quando lembrava que tinha uma netinha e eu era muito nova e não entendia direito o que estava acontecendo. A minha avó permaneceu ao lado dele até o último dia de vida dele. Hoje com mais clareza percebo o quanto tudo isso foi doloroso, mas quando ela me conta as histórias de quando ele era mais novo, vejo o quanto de amor e saudade ainda permanece com ela. Enfim, me emocionei muito lendo tudo o que você escreveu, obrigado por ter compartilhado conosco <3

    Reply
  • Debora uma curiosidade vc ke corta seu hair e se tem vontade de ter franja! acho ke vc iria fikar muito bonequinha…mais ainda! 😉
    eu quando dava uns cinco minutos eu mesma cortava kkk so ia no salao quando fazia cagada e minha franja eu ke corto ha uns anos…passei mor tempo com cabelo curtinho igual o seu adorava…bjus ta muito linda!

    Reply
  • Débora, me emocionei muito e me vi no seu texto. Assino embaixo de tudo que foi dito. Antigamente as pessoas se esforçavam mais pra que as coisas dessem certo, eram mais compreensivas, estavam dispostos a tentar, a passar por cima das dificuldades, a não abandonar, e além disso respeito e consideração eram tão essenciais que era natural como uma obrigação/como o mínimo a se ter. Infelizmente algumas pessoas buscam preencher o vazio interior que sentem a partir dos sentimentos dos outros, mas não se dão conta que a parte que falta só pode ser preenchida por elas mesmas. O trauma e a dor causados pela decepção vindos de quem se ama é tão grande e devastador que o buraco é feito e ele é irreversível. A tristeza te atormenta, a impunidade, o “não poder fazer nada” pra mudar a situação, a depressão vem como um brinde e te engole, te leva pro fundo. Além de todo sofrimento o outro ainda tenta reverta a história e te fazer setor culpada, jogar a culpa dos problemas da relação no outro é sem sentido e muitas vezes a culpa é de quem atribui isso ao outro e não reconhece realmente os fatos. Aquela confiança se perde com as mentiras, muitas vezes escrachadas porque você agora já enxerga a verdade, a indignação surge com a infantilidade em ações programas e feitas pra te atingir, a infidelidade magoa mesmo que venha dias depois do término. Só o tempo abaixa aquela raiva que se criou, aquela ânsia por vingança, pela dor que o outro te causou. Pode demorar mas o tempo com o tempo a poeira baixa, a gente se recompõe, a cicatriz fica menos feia, a dor fica naquela caixinha guardada, você sabe que ela existe, que ela tá lá; mas você deixa ela lá, já que não adianta mais, com o tempo a pessoa volta, e se você não fraqueja o que deve restar da nossa parte é o sentimento de que mesmo a pessoa ter tido feito tão mal pra nós, apenas queremos que elas sejam felizes já que a gente não foi capaz de fazer isso por mais tempo.

    Reply
    • Maybe there’s a God above, but all I’ve ever learned from love, was how to shoot somebody who outdrew ya…
      And it’s not a cry that you hear at night, it’s not somebody who’s seen the light, it’s a cold and it’s a broken hallelujah…

      Reply
  • Débora sua mão é mais branca q o rosto? Nossa a minha é acho q é só cmg e keria perguntar o q usar pra renovar a pele do rosto

    Reply
  • Eu acho que o maior problema das pessoas hoje em dia é o egoísmo e a falta de amor-próprio. Cada vez mais eu vejo pessoas interesseiras que se aproximam e só se relacionam por um interesse mesquinho, seja material, futilidade, preencher um vazio, carência ou até mesmo pra sair do tédio. Pode até ser que 90% delas sejam assim inconscientemente por conta de todo o lixo e negatividade que passa na TV diariamente, das crenças impostas pela sociedade e principalmente pela religião (não sou contra religião mas certas coisas eu simplesmente não concordo e/ou acho contraditórias). Eu não as culpo até porque eu já fiz parte desse “rebanho”. Creio que por isso a paixão tem sido cada vez mais confundida com o amor atualmente. Eu mesma em meus 24-quase-25-anos não tive a felicidade de encontrar o amor ainda (digo o amor apaixonado entre dois seres) e sei que o motivo de eu não ter encontrado seria a falta de amor-próprio. Eu acredito que esse é um dos segredos importantes para encontra-lo, amar a si próprio e não depender de ninguém pra ser feliz (sim, o tão conhecido desapego emocional). Sem esses dois segredos não há como amar alguém verdadeiramente, até porque o amor é liberdade, equilíbrio, tolerância, boa vontade, respeito, lealdade, sinceridade, companheirismo… tudo isso você tem que criar o hábito consigo mesmo para assim usa-lo com outro alguém. E isso não só vale para o amor romântico como o amor entre amigos, amor fraterno, entre outros. Outra coisa, também temos que entender que nada neste mundo – nada mesmo – dura para sempre. Portanto o tal “amor eterno” que é tão procurado pelas pessoas na verdade só existe de uma forma, e não é o amor por outra pessoa e sim o amor que é cultivado dentro de si. O mundo está em constante mudança (abrindo e fechando ciclos), as pessoas mudam e assim mudam as suas necessidades e os seus desejos, então esta ideia imposta e mal interpretada de amor eterno não há como se encaixar. Só gera frustrações em cima de frustações e pessoas cada vez mais frustadas. Talvez seja por isso que há tantos relacionamentos baseados na possessividade e tantas mortes por causas passionais? É algo pra se refletir. Se as pessoas deixarem de cobrar umas as outras e começarem a olhar pra dentro de si, verão que o motivo da maioria dos problemas de relacionamento que tiveram (se não forem todos) foram causados por ela mesma, seja por ignorância, insegurança, egoísmo, insensibilidade, pela educação dada pelos pais, entre outros. O que tem faltado no mundo atual é a autoreflexão, o hábito do autoconhecimento e não o amor em si. Mas claro que isso é só uma reflexão minha.

    Adorei o seu texto e o tema, dá pra parar e pensar bastante em como estamos lidando com os relacionamentos. Coisa que pouca gente tem pensado ultimamente. Queria também indicar um filme que eu lembrei na hora enquanto eu lia o seu post e expressa exatamente o que o amor significa, que é o Como se fosse a primeira vez (50 First Dates) com o Adam Sandler e a Drew Barrymore. A história é linda e divertida, além dos atores serem excelentes e meus favoritos. Se você nunca assistiu vale a pena ver.

    Reply
  • ola debora….bom sempre estou por aqui neh kkk. eu sempre fico muito encantada e ao mesmo tempo admirada quando vejo historias de pessoas que estao ha muito tempo juntas e foram unidas durante toda vida. Bom, gostaria de contar um pouquinho sobre a minha historia de Amor! conheci meu amor numa virada de ano, eu era bem novinha, 16 anos,e ele 24. ate hoje nao acho explicaçao sobre a ligaçao forte que descobrimos ter desde o primeiro dia…achei ke nao iria dar certo de começo por morarmos em cidades diferentes, e eu so tinha uma semana pra voltar pra minha cidade e tomar uma decisao, levar o que tinhamos adiante, ou deixar pra la….mas foi mais forte ke noa dois! lembro ke na despedida choramos tanto ke parecia ke nos conheciamos ha uns dez anos! nem eu entendia oque estava acontecendo achava aquilo uma doideira! como eu podia sentir tanto por alguem ke eu so conhecia ha uma semana! ele me prometeu ke dali a dois meses iria ir me ver….voltei pra minha cidade feliz e ao mesmo tempo insegura se ele iria realmente cumprir a promessa…e ele veio…e veio antes do planejado e me fez uma surpresa! dali em diante nao conseguiamos mais mais fikar longe um do outro…mas passamos por muitas dificuldades juntos, distancia, saudade, porke por muitas vezes pela dificuldade ficavamos varios meses sem nos ver…minha mae nao aceitava meu relacionamento com ele por ciumes e pela diferença de idade, entao ela acabava maltratando muito ele e me machucando muito tbm,e por tres longos anos foi essa guerra com minha mae e nos dois…ela ja me mandou embora, ja havia saido de casa uma vez, porke nao tinha acordo com ela, mesmo ela sabendo ke ele era uma otima pessoa…mesmo assim eu nao desisti dele, e ele nao desistiu de mim! lutamos por sete anos pra podermos finalmente casarmos! Graças ao nosso Amor, compreensao, persistencia, lealdade,confiança e respeito pelo outro….estamos casados ha quase tres anos e sao quase nove anos juntos!!!! para o amor nao tem desculpa de tempo distancia ou problemas….o coraçao nao tem barreiras, quem as criam sao a cabeça de quem acha ke o amor tem um limite de quilometragem ou de paciencia…..e isso! bjuuus espero ke lei, e goste! 🙂

    Reply
  • Que texto mais lindo! Concordo com tudo o que escreveu! Senti uma emoção muito grande ao descrever o relacionamento dos seus avós

    Reply
  • Que texto maravilhoso, Débora! Chorei.. Me identifiquei tanto, recentemente terminei um namoro de 2 anos e meio por puro egocentrismo… Ele errou comigo algumas vezes e chegou um momento que eu quis atingi-lo da mesma forma… A toa. Eu fiz mal a mim mesma, ao meu coração, ao meu caráter, e principalmente, a alguém que eu amava. Como você disse, “O amor é maior que o ego”… Pena que demorei pra perceber isso.
    Obrigada mesmo por esse texto, vou levar pra vida! <3

    Reply
  • Nossa, seu texto realmente me fez repensar meu relacionamento que eu estava a ponto de terminar… Eu fui tão egoísta, talvez até infantil…
    mto obg pela ajuda! rs
    ps: Amo dmais seu feed do insta

    Reply
  • Nunca te imaginei falando sobre amor, soa até um pouco estranho pra mimm… Mas é com certeza pela impressão errônea que se pode ter de alguém que só se “conhece” pela internet. Obrigada pelo texto, Déb, de maneira particular. As vezes pode ser difícil manter um relacionamento, e em meio a essa época de desapego generalizado é legal que alguém diga o contrário. <3

    Reply

Deixe uma resposta