Monthly Archives: fevereiro 2019

Adaptação: Como introduzir um novo gato em casa

Olá,

finalmente apareci por aqui e dessa vez pra falar sobre algo que eu amo muito e que vocês pediram bastante: gatos. Vou contar um pouquinho como está sendo a adaptação do Magnus com o Castiel.

Acho que todo mundo sabe que eu sempre quis trazer um irmãozinho pro Castiel mas nunca consegui. Como eu trabalho de casa e quase nunca saio, o Castiel é muito apegado a mim. Quando saio de casa ele só come quando eu volto e quando preciso viajar é pior ainda. Ele sempre me acompanha até a porta e está sempre lá quando eu volto. É meu companheirinho. Dorme comigo, come comigo, acorda comigo, me segue pela casa… ele também é muito possessivo e ciumento e sempre que eu tentava procurar outro gatinho ele já mudava totalmente de comportamento. Eu já estava conformada em ter um filho único.

Mês passado de manhã bem cedo, vimos um gatinho filhote em cima de um muro na minha rua desesperado miando. Não pensei duas vezes e fui lá buscar ele. Fico pensando em quantas pessoas passaram por ali e ignoraram completamente. Isso me deixa muito triste. Eu leio bastante sobre gatos no geral e ano passado fiz um técnico em veterinária então eu já sabia que eu não podia deixar ele ter nenhum contato com o Castiel e nem com as coisinhas dele antes de fazer alguns exames principalmente FIV e FELV. Na minha cabeça eu já estava conformada que o Castiel não aceitaria ele e seria apenas um lar temporário. Até falei no meu primeiro story que fiz sobre que não poderia ficar com ele. Já tinha até uma menina interessada nele (inclusive desculpa, ela queria muito e eu fiquei pra mim no final).

Deixei ele em um quarto que o Castiel não costuma usar muito, dei ração e água (ele tava com tanta fome que fazia barulhinhos enquanto comia) e liguei  pra veterinária do Castiel pra levar ele lá pra fazer os exames. Felizmente deu negativo pra FIV/FELV, ele estava sem pulgas por incrível que pareça e demos vermifugo pra ele também. Isso é muito importante ok? Nunca deixe seu gato ter contato com um que você trouxe da rua sem fazer os exames.

Não preciso nem falar que eu já estava completamente apaixonada por ele, comentei até que não entendia como as pessoas conseguiam dar lar temporário. Eu não tenho psicológico pra isso, eu já não sabia viver sem ele e fazia só 1 dia que ele tinha me achado (eu acho que ele que me achou, assim como o Castiel).

Começou então minha jornada de adaptação. A primeira coisa que vocês precisam ter na hora de introduzir um gatinho novo em casa é PACIÊNCIA. Não adianta apressar as coisas que vai ser pior. Pode demorar semanas ou até meses. Se você apressar as coisas pode ser que eles nunca se acostumem de fato, só comecem a tolerar um ao outro. Ao contrário do que muitos pensam, os gatos não são solitários, eles conseguem sim ser sociáveis mas gostam das coisas bem resolvidas em casa e que respeitem o espaço deles. Eles são na verdade territorialistas. Por isso essa adaptação e mudança de rotina é extremamente estressante pra eles e todo cuidado é pouco.

A primeira coisa que eu fiz foi fazer um quartinho pro Magnus com todas as coisas que um gato precisa: comida, água, caixa de areia, brinquedos, caminha e arranhador. É importante cada gato ter suas próprias coisas nesse início pra não dar briga ou então ter coisas suficientes pra eles dividirem sem nenhum desconforto. Mantive eles separados e comecei a deixar eles se olharem pela fresta da porta pra sentirem o cheiro um do outro. No começo o Castiel bufava, rosnava e miava grosso pra ele. Achei até engraçado porque depois de ver o Castiel fazendo, o Magnus começou a imitar e a fazer igual. Aos poucos fui colocando eles juntos. Primeiro deixei o Castiel entrar no quarto que ele estava e cheirar tudo. Larguei o Magnus pela casa também pra conhecer. Primeira vez que deixei eles juntos eu coloquei o Magnus na caixinha de transporte fechada e deixei o Castiel ver bem e cheirar bem ele por ali.

Muito importante: por mais que seja difícil, nunca mime o gato novo na frente do outro, isso só vai deixar ele se sentindo mal, com ciúmes e com raiva do pequeno e vai dificultar ainda mais o processo.

Pra minha surpresa, o Castiel não reagiu tão mal a ele. Comecei então a deixar eles juntos em alguns momentos do dia para brincar. Sempre dando bastante petiscos e brincando o máximo possível com eles. Na medida que fui sentindo mais segurança, fui aumentando a frequência. Me assustei um pouco no começo porque eles brincam de lutinha e o Castiel tem 6kg. Magnus não tinha nem 800 gramas quando chegou aqui. Agora já está com 1,5 kg. Eu achava que o Castiel ia matar ele. Mas fui pesquisar e vi a diferença entre brincadeira e uma briga real de gatos. Mas mesmo assim, eu ainda separo algumas vezes quando acho que está muito intensa a luta. Outra dica é passar essência de baunilha nas costas deles. Pra ficarem com o mesmo cheiro. Isso ajuda muito na adaptação.

Passei a deixar eles cada vez mais tempo juntos mas sempre supervisionando. Na hora de dormir eu ainda trancava ele no outro quarto pro Castiel não ficar com ciúme porque ele dorme comigo na minha cama.

Em menos de 2 semanas eles já estavam se dando banho e dormindo juntos. Pra minha surpresa. Acho que nunca fiquei tão feliz. Isso vai depender muito da personalidade de cada gato e se o santo vai bater ou não. Eu acho que era pra ser, sempre quis e nunca consegui e dessa vez deu certo!

Quanto a ração: o Magnus precisa comer ração de filhote até completar um ano e o Castiel come pet delícia (que é alimentação natural) e ração pra gatos castrados. A Pet Delícia eu posso dar pros dois mas não consegui encontrar um jeito de um não comer a ração do outro. Principalmente o Magnus. Ele só quer a do Castiel. Tentei de tudo. Então minha solução foi misturar as duas. O Castiel precisa ter o pote com ração sempre cheio senão ele surta. Por isso ainda mantenho a seca em casa mesmo ele comendo pet delícia. E por isso colocar em cômodos separados só na hora de comer não funcionou. Porque precisa ter sempre ração no pote dele. Não funcionou também colocar a do Castiel em um lugar alto porque o Castiel não é do tipo que escala, mas o Magnus sim! Ele sobe em tudo.

Hoje em dia já tenho confiança de deixar os dois sozinhos, mas ainda preciso separar em alguns momentos porque o Magnus tem muita energia e o Castiel as vezes quer descansar e ele não deixa. Eu passei esse último mês sem conseguir dormir mais de 4 horas por dia porque fiquei em função deles. Por isso digo: paciência.

Castiel é castrado e está com 4 anos. Magnus tem 3 meses e só vai ser castrado com 6 meses.

Cada um tem sua caixinha de areia e por algum motivo eles usam uma pra xixi e a outra pra cocô.

Lembrando: essa foi a minha experiência. Pode demorar bem mais. E se já faz mais de ano e seus gatos não se acostumaram ainda  é bom você tentar refazer a adaptação. Gatos que são amigos se dão banho e dormem juntos! Se eles não fazem isso, provavelmente só se toleram.

Com calma e paciência tudo vai dar certo sempre.

Espero ter ajudado. Tenho um destaque “Magnus” no meu Instagram que mostrei tudo desde o primeiro dia e criei um “Castiel/Magnus” pra continuar mostrando os dois. Me contem nos comentários as experiências de vocês com adaptação.

Até a próxima. <3