Monthly Archives: março 2016

The Visit – Review

Oi, pessoal.

Sempre assisto vários filmes no fim de semana, mas só posto aqui os que eu acho que valem a pena indicar.

Ontem, um dos filmes que assistimos nos surpreendeu porque fazia muito tempo que eu não levava susto com filmes. Do mesmo diretor de “O Sexto Sentido”, (Shyamalan) The Visit é um filme no formato Found Footage, (o que trouxe um ar bem interessante ao filme e funcionou extremamente bem com o que se propôs) que nos faz parecer que o tempo todo é filmado por dois irmãos que são os protagonistas.

Becca e Tyler, que são os dois irmãos, estão indo passar uma semana na casa dos avós que eles nunca viram porque a mãe saiu de casa durante a adolescência e nunca mais teve contato com os pais. Porém, desde o início da estadia os irmãos começam a perceber situações e comportamentos muito estranhos nos seus avós.tumblr_o404giJgFL1qi5n7no1_1280Pra gente, o mais interessante no filme além do enredo da história, por somar dois perfis que particularmente são os mais delicados para terror: a infância e a velhice; é a forma que ela é conduzida. O filme nos traz a sensação de que o tempo todo ele está sendo filmado com um único propósito: ser parte de um documentário dirigido pela irmã mais velha.

O mais interessante é que o filme permanece com uma qualidade de imagem, luz e cor muito boas e nada que se renda esteticamente ao estilo found footage além da sua linguagem. Então nada disso quebra o clima cinematográfico tradicional ou se arrasta em demasia como algumas pessoas sentem ao se depararem com filmes desse formato (se alguém tem preconceito com filmes nesse estilo seria legal dar uma chance a esse, pois ele nada tem a ver com o found footage convencional). Ao contrário do que é esperado, o estilo documental do filme humaniza mais ainda a reação dos protagonistas e a atuação dos atores, mas sem o ar de amadorismo que geralmente é a característica primordial do formato. O que também chama a atenção é como o filme consegue trabalhar com humor, (por mais clichê que seja o comportamento do irmão mais novo, ele consegue tirar muitas risadas e cativar ao mesmo tempo) sem perder em momento algum o propósito com o terror. O que é bastante difícil, porque geralmente o humor nos filmes de terror acaba por transformar o filme numa porcaria. E se alguém precisa de mais um motivo pra dar uma chance ao filme, lá vai: é um daqueles filmes com o final imprevisível. Geralmente a gente já tem uma ideia de como a trama do filme vai se encaminhando, mas aqui nós estamos lidando com o cara que fez o Sexto Sentido, e por mais que não seja nem metade do quão envolvente o filme seja, ele nos traz o filme todo novamente pela cabeça, desde o seu início, pra podermos digerir melhor o seu final.tumblr_o37qp3Pr6U1u8vtiuo1_r1_1280tumblr_o45blq2bnj1vnclugo1_500

Beijos.

 

Débora e Luca.

Velvetines – Lime Crime

Oi pessoal, hoje passei aqui pra mostrar esses 3 Velvetines da Lime Crime que recebi esses dias e me apaixonei muito, principalmente por um deles. Desde que ouvi falar da marca fiquei louca mas sempre deixei pra depois e acabei nunca indo atrás, ser de fora colaborou com isso. Hoje em dia várias lojas daqui devem vender se procurar. Eu recebi da Dolls kill. Eles fazem entrega internacional. Pra quem não conhece a Lime Crime, os Velvetines são uma linha de batons líquidos matte. A cobertura é ótima e não “descascam” da boca com qualquer coisa. Eu já era apaixonada e agora sou mais ainda.

Eu escolhi as cores Cement, Black Velvet e Salem.

IMG_5791

IMG_5790

Passei na mão pra mostrar pra vocês:

IMG_5789

O Cement é um cinza que dependendo da iluminação fica mais claro ou escuro e é o que eu mais gostei, por nunca ter usado um parecido. Minha vontade é de dormir com ele.

O Black Velvet sempre foi o que eu mais quis ter, é um preto lindo de cobertura maravilhosa.

E o Salem é um marrom bem diferente mais quente e também é a coisa mais linda.

A Lime Crime não está entregando aqui no Brasil, mas várias lojas vendem. Se tiverem dicas de onde achar por aqui eu vou ficar feliz em saber. Beijos.

Southbound – Review

Southbound

Dos criadores de V/H/S, é uma antologia de 5 curtas e em todas elas as pessoas acabam descobrindo que estão presas no inferno. Eu achei bem agradável de assistir principalmente porque vai de pactos satanistas até cenas que me lembraram muito Twilight Zone (o curta do hospital, por exemplo). E mesmo as histórias que não são tão boas não são ruins ao todo também e tem algo a oferecer. A trilha sonora oitentista é a chave de ouro do filme e ajuda a nos transportar pro estilo movie road que ele tem. Com uma pegada um pouco diferenciada dos filmes de terror, cada curta é dirigido por um diretor, mas todos são entrelaçados um no outro de alguma forma, criando um ciclo finalizado pelo mesmo curta que dá início ao filme, Southbound merece uma atenção, principalmente pra quem gosta do gênero.

top

Deixem comentários dizendo o que acharam do filme.

Beijos.